Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Por um código da estrada europeu

Domingo, 22.08.10

[Palma de Maiorca] É nesta época estival que se faz sentir com particular acuidade a falta de um verda­deiro código da estrada europeu. Que uniformize práticas e regras, normalize padrões de conduta e sis­tematize direitos, deveres e obrigações dos condutores que percorrem as estradas da Europa da União. Não faz sentido outorgar ao cidadão europeu um direito fundamental – liberdade de circulação – e depois sujeitá-lo a tantos conjuntos diferentes de regras procedimentais quantos os Estados que queira percorrer. Não estamos a falar de tutela criminal, que cada Estado pode querer a sua, mas tão-só de uma tutela contraordenacional, não sujeita ao mesmo escrutínio axiológico daquela. Estamos num plano claramente instrumental do direito que apenas aproveitaria aos cidadãos se fosse objecto dum entendimento alargado entre os Estados europeus. Os trabalhos, embrionários, que se encontram a decorrer devem ser impulsionados, urgindo conclusão célere. A Europa da União também deve servir para tocar e beneficiar muito directamente os cidadãos e não apenas para se limitar ao domínio trans­cendental da mega e grande política.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Joao Pedro Dias às 03:09






links

ORGANIZAÇÕES EUROPEIAS

COMUNICAÇÃO SOCIAL



comentários recentes

  • Jorge Greno

    Mas então o Português deixou de ser língua oficial...

  • Pedro

    Bom dia,O Casa Europa está novamente em destaque n...

  • Henrique Salles da Fonseca

    BRAVO!!!Todos os políticos no activo praticaram o ...

  • O mais peor

    Até que enfim o sapo destaca um blogue de valor qu...

  • De Puta Madre

    Eu Gostaria que o Espaço Europeu não Tivesse nos S...

  • Dylan

    Se no caso egípcio, algumas pessoas acharam por be...

  • Carlos Medeiros

    Gostei do post. Estou totalmente de acordo. E cons...

  • silveira

    Não é isso que diz a notícia!... De qualquer forma...

  • silveira

    Se eu fosse juíz sentiria vergonha por esta rejeiç...

  • silveira

    É claro como água!... Para voltarmos a ter justiça...