Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O começo da CIG

Segunda-feira, 23.07.07

Iniciaram-se hoje os trabalhos da Conferência Intergovernamental encarregada de reformar os tratados comunitários e da União Europeia. As notícias publicadas dão-nos conta de que a presidência portuguesa apresentou uma proposta de Tratado praticamente final, e a submeteu à apreciação das restantes 26 delegações. A abertura da Conferência, todavia, apareceu-nos acompanhada de uma série de declarações públicas - da parte da presidência e da parte da Comissão - onde se formulam votos de que todos os Estados-membros se mantenham fiéis à palavra dada na última Cimeira do Conselho Europeu, o que significa duas coisas: continuarem a aceitar o que já tinham aceite na referida Cimeira e não reabrirem dossiers já tidos por encerrados e acordados. Ora, estes apelos de última hora apenas se compreendem na lógica de serem temidas dificuldades e obstáculos inesperados que possam pôr em causa consensos já tidos por adquiridos - sendo certo que, entrando-se no caminho da dificuldade, dificilmente se poderá antecipar qual o final da própria Conferência Intergovernamental.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Joao Pedro Dias às 21:50






links

ORGANIZAÇÕES EUROPEIAS

COMUNICAÇÃO SOCIAL



comentários recentes

  • Jorge Greno

    Mas então o Português deixou de ser língua oficial...

  • Pedro

    Bom dia,O Casa Europa está novamente em destaque n...

  • Henrique Salles da Fonseca

    BRAVO!!!Todos os políticos no activo praticaram o ...

  • O mais peor

    Até que enfim o sapo destaca um blogue de valor qu...

  • De Puta Madre

    Eu Gostaria que o Espaço Europeu não Tivesse nos S...

  • Dylan

    Se no caso egípcio, algumas pessoas acharam por be...

  • Carlos Medeiros

    Gostei do post. Estou totalmente de acordo. E cons...

  • silveira

    Não é isso que diz a notícia!... De qualquer forma...

  • silveira

    Se eu fosse juíz sentiria vergonha por esta rejeiç...

  • silveira

    É claro como água!... Para voltarmos a ter justiça...