Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A Conferência Intergovernamental 2007

Terça-feira, 31.07.07

Estão em curso os trabalhos da CIG 2007 que, espera-se, culminará com a assinatura do Tratado dito Reformador que, espera-se igualmente, possa vir a ser o Tratado de Lisboa. Em boa hora a Presidência portuguesa deu sinais de pretender a maior transparência possível sobre o decurso dos trabalhos da Conferência Intergovernamental, nomeadamente publicando AQUI no site da União Europeia os principais documentos de trabalho que vão sendo apresentados no decurso da Conferência. Pena que os mesmos documentos - inclusivamente a própria proposta de Tratado submetida às demais delegações dos restantes Estados membros - continuem inacessíveis em português, justamente numa altura em que cabe a Portugal a direcção dos trabalhos da Conferência. Inquestionavelmente uma oportunidade perdida para a valorização da língua portuguesa no quadro da União - objectivo não raras vezes enunciado pelos sucessivos governos portugueses mas que, à primeira oportunidade séria e relevante que surge para que deixe de ser um objectivo e se transforme numa realidade, cai por terra. Lamentável.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Joao Pedro Dias às 11:17






links

ORGANIZAÇÕES EUROPEIAS

COMUNICAÇÃO SOCIAL



comentários recentes

  • Jorge Greno

    Mas então o Português deixou de ser língua oficial...

  • Pedro

    Bom dia,O Casa Europa está novamente em destaque n...

  • Henrique Salles da Fonseca

    BRAVO!!!Todos os políticos no activo praticaram o ...

  • O mais peor

    Até que enfim o sapo destaca um blogue de valor qu...

  • De Puta Madre

    Eu Gostaria que o Espaço Europeu não Tivesse nos S...

  • Dylan

    Se no caso egípcio, algumas pessoas acharam por be...

  • Carlos Medeiros

    Gostei do post. Estou totalmente de acordo. E cons...

  • silveira

    Não é isso que diz a notícia!... De qualquer forma...

  • silveira

    Se eu fosse juíz sentiria vergonha por esta rejeiç...

  • silveira

    É claro como água!... Para voltarmos a ter justiça...