Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Governo económico europeu pode entrar em conflito com constituição alemã

Domingo, 18.09.11
"Em entrevista a um jornal alemão, um juiz do Tribunal Constitucional alemão aconselhou Angela Merkel a procurar a legitimação desta ideia por intermédio de um referendo. A criação de um governo económico europeu pode entrar em conflito com a constituição da Alemanha, considerou um juiz do Tribunal Constitucional alemão. Em entrevista ao Suddeutsche Zeitung, Peter-Michael Huber aconselhou a chanceler alemã promover um referendo que garanta a legalidade do novo governo europeu. Este juiz alemão alertou para o perigo de criação deste governo, cuja ideia é apoiada não só por Angela Merkel como também pelo presidente francês Nicolas Sarkozy, sem legitimação democrática.Este catedrático de Munique aproveitou ainda para criticar a proposta do comissário europeu Gunther Oettinger de enviar comissários da UE para a Grécia. Huber entende que isto significaria um acto de tutelagem que colocaria em causa o bom entendimento, uma vez que nem portugueses, nem espanhóis, nem italianos estão dispostos a acatar ordens de estranhos a longo prazo". [Fonte]

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Joao Pedro Dias às 23:04






links

ORGANIZAÇÕES EUROPEIAS

COMUNICAÇÃO SOCIAL



comentários recentes

  • Jorge Greno

    Mas então o Português deixou de ser língua oficial...

  • Pedro

    Bom dia,O Casa Europa está novamente em destaque n...

  • Henrique Salles da Fonseca

    BRAVO!!!Todos os políticos no activo praticaram o ...

  • O mais peor

    Até que enfim o sapo destaca um blogue de valor qu...

  • De Puta Madre

    Eu Gostaria que o Espaço Europeu não Tivesse nos S...

  • Dylan

    Se no caso egípcio, algumas pessoas acharam por be...

  • Carlos Medeiros

    Gostei do post. Estou totalmente de acordo. E cons...

  • silveira

    Não é isso que diz a notícia!... De qualquer forma...

  • silveira

    Se eu fosse juíz sentiria vergonha por esta rejeiç...

  • silveira

    É claro como água!... Para voltarmos a ter justiça...