Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Trichet : " Precisamos de um Ministério das Finanças europeu"

Terça-feira, 04.10.11

"O presidente do Banco Central Europeu defendeu a necessidade de criar um Ministério da Finanças europeu. Na sua intervenção perante o Parlamento Europeu, Jean-Claude Trichet sublinhou a necessidade de que sejam feitos progressos significativos para uma maior unidade política." [Fonte]

 

Só no final do seu mandato Trichet parece despertar para a realidade. Uma zona económica, para ser perfeita, não pode confiar a defesa de uma moeda única a 17 administrações nacionais. Requer um mínimo de governação europeia: uma estrutura política permanente, um reforço do orçamento comunitário, um tesouro europeu, uma fiscalidade europeia. Pelo menos, isto. Só assim conseguirá fazer face às ameaças que impendam sobre essa mesma moeda. Sem estes instrumentos, o euro será sempre uma obra imperfeita e incompleta. Inacabada. Que suscitará sempre dúvidas e reservas junto dos mercados. A questão do momento é saber se a Europa ainda irá a tempo de suprir as falhas e colmatar as omissões. Se para tanto terá tempo, arte, engenho e ...... lideranças à altura.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Joao Pedro Dias às 23:46






links

ORGANIZAÇÕES EUROPEIAS

COMUNICAÇÃO SOCIAL



comentários recentes

  • Jorge Greno

    Mas então o Português deixou de ser língua oficial...

  • Pedro

    Bom dia,O Casa Europa está novamente em destaque n...

  • Henrique Salles da Fonseca

    BRAVO!!!Todos os políticos no activo praticaram o ...

  • O mais peor

    Até que enfim o sapo destaca um blogue de valor qu...

  • De Puta Madre

    Eu Gostaria que o Espaço Europeu não Tivesse nos S...

  • Dylan

    Se no caso egípcio, algumas pessoas acharam por be...

  • Carlos Medeiros

    Gostei do post. Estou totalmente de acordo. E cons...

  • silveira

    Não é isso que diz a notícia!... De qualquer forma...

  • silveira

    Se eu fosse juíz sentiria vergonha por esta rejeiç...

  • silveira

    É claro como água!... Para voltarmos a ter justiça...