Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O espírito europeu e a ideia de Europa

Sábado, 18.09.10

A propósito de não sei bem o quê, retorno a algo que já escrevi sobre o espírito europeu e a ideia de Europa. O sentido unanimista da Europa re­side na genialidade dos seus díspa­res: quando surge uma perso­nalidade de génio ca­paz de con­gre­gar atrás de si mi­lhões de vidas, logo se ergue, com idêntica genialidade, uma per­so­nali­dade oposta, capaz de concitar a adesão de ou­tros tan­tos milhões de vi­das que crêem nesse opos­to. Os exemplos prolife­ram e abundam. Quando a Eu­ropa inteira es­cutava Erasmo e este pa­rece con­quistar em toda a dimen­são da sua per­sonalidade o Velho Conti­nen­te, logo despon­tam Maquiavel e Lutero; e quando Lu­tero pa­re­ceu ven­cer e rea­lizou o grande golpe contra o ca­toli­cis­mo, concitando em torno de si o Norte e o Centro da Europa, de ime­di­ato despon­tou Inácio de Loiola para guiar e ilu­mi­nar de novo a fé católica no Sul e no Oci­dente do Ve­lho Conti­nente. Vencem Erasmo, Maquiavel, Lutero e Inácio de Loio­la. Ganham o Norte e o Sul da Eu­ropa. Ganha a Eu­ropa no seu todo e ganha a Humani­da­de. E mais perto de nós, no plano temporal, quan­do triunfa a Revolução Comunista na Rús­sia, logo triunfa e se impõe a Revolução Fas­cista em Itá­lia. E quando ambas pare­cem firmes e se­gu­ras, assiste-se ao ad­vento da Revolução Nazi. Ganhou Lenine. Ganhou Mussolini. Ga­nhou Hitler. Segu­ramente — perdeu a Eu­ropa e perdeu a Hu­manida­de. Mas a regra confir­mou-se — quando surge uma vitó­ria na Eu­ropa, logo outra vi­tória se lhe opõe. Quando um gé­nio desponta e dá o exemplo, logo abre caminho para que ou­tros génios se le­vantem tam­bém. É esta a essência da Europa. O tempo que passa encarrega-se de o confirmar a toda a hora.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Joao Pedro Dias às 15:44